Farm é criticada por ação realizada após a morte de funcionária baleada no RJ

Por Alana Santos

Logo após a morte de Kathlen Romeu (grávida baleada em uma ação policial em Lins de Vasconcelos), a grife de roupas Farm fez uma publicação lamentando a morte da jovem, que era funcionária de uma de suas lojas, porém logo após a postagem, o post recebeu diversas críticas.

A ação apresentava um código de desconto com o nome de Kathlen, que ao ser usado, reverteria o valor da comissão da venda para a família da vítima. O texto dizia:

A partir de hoje, toda a venda feita no código de Kathlen – E957 – terá sua comissão revertida em apoio para sua família, reforçando que nós também vamos apoiá-la de forma independente e paralela. Sabemos que nada que fizermos poderá trazer Kath de volta mas nos comprometemos a acelerar ainda mais nossos processos de inclusão e equidade racial para transformar as cruéis estatísticas que levam vidas jovens negras como a de Kath a cada 23 minutos no nosso país. As vidas de Kath e seu bebê importam. Vidas negras importam. Aqui, hoje, sempre. Transformar é urgente”.

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por FARM Rio (@adorofarm)

O público logo se revoltou e acusou a Farm de se aproveitar da morte da jovem para lucrar. Em meio aos comentários, estava o da criadora de conteúdo Nath Finanças, reforçando que apesar de parte da comissão da venda ir para os vendedores, a empresa também estaria lucrando com a ação.

Após as diversas acusações e críticas, a Farm se desculpou por promover o código de desconto com o nome de Kathlen e informou que ele já estava fora do ar.

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por FARM Rio (@adorofarm)

Kathlen tinha 24 anos e estava grávida de 14 semanas, ela morreu após ser atingida por uma bala perdida em um dos acessos à comunidade Lins do Vasconcelos, na Zona Norte da cidade.

Fonte/Créditos: AdNews.

  •  
  •  
  •  
  •