Zoom passa a valer mais do que as maiores cias aéreas do mundo

Por Alana Santos

Em meio à pandemia do COVID-19, muitas pessoas passaram a trabalhar de casa. Se essas tendências se tornarem o novo normal, algumas empresas poderão se destacar, como é o caso do Zoom.

A empresa de video-conferências é provavelmente o melhor exemplo de uma marca que se beneficia diretamente dessa transição.

O gráfico abaixo da Visual Capitalist buscou inspiração em Lennart Dobravsky da Lufthansa Innovation Hub, e traz visão dramática do quanto a avaliação do Zoom disparou durante esse período bizarro na história. Confira:

O Boom do Zoom

Em 15 de maio de 2020, a capitalização de mercado da Zoom subiu para US $ 48,8 bilhões, apesar de ter registrado receita de apenas US $ 623 milhões no ano passado.

O que separa o Zoom da concorrência e o que levou ao aumento massivo do aplicativo na cultura comercial tradicional?

Analistas do setor dizem que os usuários do mundo corporativo foram atraídos para o aplicativo devido à sua interface amigável e pela experiência de usuário, além da capacidade de lidar com até 100 participantes de cada vez.

O aplicativo também explodiu entre os educadores para uso no ensino on-line, depois que o CEO Eric Yuan tomou medidas extras para garantir que as escolas de ensino fundamental e médio pudessem usar a plataforma gratuitamente.

O número de pessoas fazendo reuniões no Zoom disparou nos últimos meses, passando de 10 milhões em dezembro de 2019 para 300 milhões em abril de 2020.

Enquanto isso, as Cias Aéreas…

O setor da aviação é o outro lado dessa moeda, sofrendo uma queda sem precedentes na demanda depois das restrições impostas internacionalmente que fecharam os aeroportos:

As principais companhias aéreas do mundo tiveram uma queda de 62% em receita total desde o final de janeiro:

O que o futuro nos reserva?

Com diversos países se virando como podem para tentar conter a disseminação da COVID-19, muitas companhias aéreas demitiram funcionários e cortaram os salários dos executivos para tentar permanecerem vivas.

Se as viagens aéreas comerciais retornarão em breve continua sendo um ponto de interrogação importante.

O sucesso recente do Zoom é fruto das circunstâncias, mas será que vai durar? Essa é a pergunta que muitos investidores da empresa se fazem e os executivos aguardam ansiosos pelos resultados do primeiro trimestre que será divulgado em junho.

Não foi nada fácil para a equipe do Zoom, como podemos imaginar. teve até uma onda de “Zoom Bombing”, incidentes em que pessoas não convidadas sequestraram reuniões e obrigou um esforço extra nas medidas de segurança do aplicativo. No entanto, a empresa permaneceu resiliente, fornecendo rapidamente suporte para combater o problema.

Enquanto isso, como muitas partes do mundo começam a tomar medidas para reiniciar a atividade econômica, as companhias aéreas podem ter um retorno cauteloso aos céus, embora tal recuperação seja certamente uma “subida lenta e longa”.

É o sobe-e-desce dos produtos e serviços em consequências da pandemia.

Fonte/Créditos: Update or Die.