Fnac planeja deixar o Brasil?

Por Fillipe Luis

varejista de papelaria, livros e produtos eletrônicos Fnac manifestou planos de deixar o Brasil, após ter fechado o ano de 2016 com resultado líquido igual a zero. A Fnac Darty, grupo detentor da marca, começou um processo para “buscar um sócio que dê  lugar à retirada do país”, conforme afirma um comunicado divulgado nesta terça-feira, 29.

No Brasil desde o final da década de 90, a empresa caracterizou como “descontinuada” a operação País, que responde por menos de 2% do volume de vendas. Agora, a empresa busca um comprador para ficar com suas 12 lojas em território nacional.

No período que corresponde até setembro de 2016, as vendas da Fnac tiveram queda de 21% (12% em bases cambiais constantes) no País, resultado atribuído à recessão. Já a venda global da empresa subiu 79,6% no quarto trimestre. No cenário global, o grupo afirma que  “está em crescimento tanto na França (+2,1%) e em nível internacional (+1,3%)”.

Segundo o comunicado do grupo, o lucro líquido ajustado do grupo foi de 54 milhões de euros, o que corresponde a um crescimento de 37% em comparação a 2015.

A Fnac comprou a varejista de eletrônicos Darty em julho de 2016, com o intuito de reduzir a dependência das receitas com livros e CDs.