Como a indústria rentabiliza a imagem de um produto em vários nichos de mercado

Por Alana Santos

Todos nós conhecemos um livro que virou série, a personagem principal de um filme que de repente estampa a embalagem de um perfume ou uma personagem de um desenho animado que acaba surgindo num jogo.

Na verdade, isso ocorre tão naturalmente que muitas vezes passa despercebido, mas a indústria está cheia de exemplos de rentabilização da imagem de um produto ou personagem que acaba sendo utilizado em vários nichos de mercado.

Fonte: Pexels

Num mundo cada vez mais globalizado, de interesses tão variados, acaba sendo um desperdício que um produto ou uma personagem que tenha tido tanto sucesso num determinado nicho de mercado, como as indústrias cinematográfica ou literária, veja a sua imagem ser explorada apenas num único sentido. Com base nisto, a indústria do entretenimento reinventa as formas de explorar a imagem de determinado produto, o que o rentabiliza e se traduz num impacto positivo nos lucros desta indústria, como mostra artigo publicado no portal PwC.

A indústria, ao se reciclar com a utilização dos mesmos produtos, utilizando-os de formas diferentes, acaba por conseguir rentabilizar o potencial desse produto, chegar a mais pessoas e aumentar o seu valor. Dessa forma, é possível encontrar vários exemplos dessa reciclagem, já que essa é uma prática cada vez mais comum. Abaixo separamos três exemplos para ilustrar como a reciclagem do mesmo produto pode ser feita pela indústria de entretenimento.

O sucesso mundial de Harry Potter

O primeiro volume da saga de Harry Potter, Harry Potter e a pedra filosofal, remonta a 1997. Desde o surgimento da saga envolvendo o bruxo, praticamente ninguém ficou imune a essa história. O sucesso da saga foi tão intenso que a indústria cinematográfica acabou pegando carona nele e transformou a história em uma série de filmes muito bem-sucedida. Para além disso, o sucesso de Harry Potter também deu origem a um parque temático localizado na Inglaterra e a inúmeros produtos ligados à franquia, provando o quanto foi positiva a ideia de rentabilizar a história.

A série que conquistou o mundo: Game of Thrones

Fonte: Pixabay

Game of Thrones é outro bom exemplo de como uma história pode ser reaproveitada pela indústria de entretenimento. Diferentemente do exemplo anterior, em que o livro foi o ponto de partida rumo ao sucesso, com Game of Thrones ocorreu justamente o oposto: foi a série televisiva que deu início à febre mundial, e não a série de livros em que foi baseada.

Não só a indústria do entretenimento reciclou a imagem desta série e das suas personagens em vários nichos diferentes como o sucesso da série levou também ao surgimento de novos projetos baseados na história, como ilustra o portal Gelo e Fogo, que publica conteúdo dedicado exclusivamente ao tema.

Outro exemplo de como a indústria do entretenimento reciclou a série é relacionado aos jogos online. Desenvolvedores de jogos aproveitaram a popularidade da série para criar um dos caça-níqueis mais populares nas plataformas de cassino online, baseado inteiramente na produção da HBO. Com as máquinas de caça-níqueis, as plataformas de cassino online têm a possibilidade de adaptar praticamente qualquer tema a esse tipo de jogo. Caso você se interesse em verificar como diferentes temas são adaptados nos slots online, leia mais sobre cassinos online no Galobonus.pt.

A febre da caça aos Pokémons

Outro exemplo que mostra como a indústria rentabilizou muito bem a imagem de um produto em vários nichos de mercado são os Pokémons, que de desenhos animados se transformaram em filme, em jogos e no maior sucesso mundial de realidade aumentada com o aparecimento de Pokémon Go.  O jogo foi baixado por bilhões de pessoas, mostrando exatamente o poder de rentabilização de um produto “reciclado”.

Existem muitos outros exemplos que poderiam ser citados, mas estes já nos mostram claramente como a indústria lucra com a reciclagem de imagem de produtos e serviços nos vários nichos de negócio.