8 lições de marketing que podemos tirar com a série Round 6

Por Alana Santos

Entre todas indicações e comentários, a série sul-coreana “Round 6” está sempre em pauta. Trata-se de um daqueles casos em que um tema envolve a internet por alguns dias ou semanas. As séries estão cada vez mais inseridas em nossas vidas e influenciam inclusive o marketing.

Um país significativamente importante no contexto mundial, a Coreia do Sul é faz parte dos tigres asiáticos (lembrou da aula de geografia?). E é responsável pela fabricação de carros, celulares, TVs, computadores e vários outros itens que possivelmente você tenha em casa. Por isso, a sua importância mercadológica e de marketing.

Mas afinal de contas o que essa série tem de especial que está fazendo “bombar” a internet, chegando aos trends topicsdas redes sociais mundiais? E qual a relação dela com o marketing? Podemos tirar alguma lição dessa experiência de entretenimento que caiu no gosto popular nas últimas semanas?

Vamos lá: trata-se de uma série sul-coreana que aborda algumas narrativas de nosso dia a dia, tais como: injustiças, finanças pessoais, ganhos fáceis, jogos, vícios, cotidiano, valores familiares, cobiça, ganância, sexualidade e violência (muita violência). Mas que com certeza nos ensina sobre marketing. Sim, eu vejo marketing em tudo, e você?

Saiba quais são as oito lições de marketing identificadas após assistir a série:

1 – Aproveite as boas práticas para incentivar as produções culturais

A partir da década de 90, a Coreia do Sul passou a apoiar a indústria cultural, ajudando na questão estrutural e nos apoios necessários para o surgindo de talentos e bons trabalhos na área. Está lembrado(a) do filme vencedor do Oscar de 2019 (Parasita)? Então sul coreano também.

2 – Use temas conhecidos dos públicos com criatividade

Mesmo que o tema da série seja batido e aqui a intenção não é dar spoiler, mas o roteiro não foge muito de algo que já vimos em filmes e séries, e até mesmo aqui no Brasil a temática é muito conhecida, lembram do Silvio Santos? Lembram do Programa “Topa tudo por Dinheiro”? A mesma fórmula, mas sem a violência da série.

3 – Tenha representatividade social

Seguindo o raciocínio, a série tem conotações universais, além de personagens imigrantes, personificação de segmentos de mercado como os idosos e sua sapiência, mulheres e a igualdade social. Você havia identificado isso?

4 – Utilize a Internet como divulgação

Nada mais natural do que usar a internet para divulgar um produto de streaming, porém a forma como a série se beneficia principalmente da “Geração Z ou Mileniuns” é muito relevante. O marketing está presente no processo de divulgação da série.

5 – Saiba qual ações estratégicas para cada desafio

A série apresenta momentos nos quais fica evidente a necessidade de estratégias, onde muitas vezes não é o mais forte que ganha, e sim o que detém a estratégia, preparo, experiência e trabalho em equipe.

6 – Faça alianças e parcerias

Em alguns momentos seus concorrentes deixam de ser um oponente no mercado e passam a ser aliados, onde parcerias são estratégicas e alianças são fundamentais. O fato é que saber identificar esses momentos e qual ação tomar é fundamental.

7 – Conte uma boa história

Sobre o enredo, como já disse, mesmo sendo batido, explora um bom storytelling, criando assim laços com personagens para gerar um impacto emotivo.

8 – Descubra o que te motiva

Qual sua motivação para seguir em frente? Quais são as motivações dos seus colaboradores? O que te faz você seguir adiante, mesmo como os desafios diários? Na série, cada personagem parece ter uma motivação além do “permanecer vivo” para estar ali.

E para fechar destacaria que outro fato que chama atenção, e não foi elencado acima pois esse tem como objetivo gerar uma reflexão: “Até que ponto devemos seguir para conseguir audiência?” Afinal, mesmo que bizarro, ilegal, antiético e perverso na série, infelizmente se prova que existem nichos para todos os produtos e segmentos, afinal existe uma parte da sociedade que financia as ações sangrentas e se diverte com isso.

Logicamente que se trata de uma analogia para sua reflexão pois é uma ficção e o objetivo aqui é identificar elementos de marketing dentro da série e não apoiamos de forma alguma a violência.

Texto escrito por: Achiles Junior, professor da Uninter.