Verdades sobre a Publicidade que não te contaram na faculdade

  Willian Baldan julho 5, 2017 às 14:31h

Ainda vale a pena investir na carreira publicitária? Você já deve ter feito ou ouvido essa pergunta algumas vezes.

Existe tanta gente formada sem trabalho e sem expectativas. As agências estão se desdobrando para sobrevive. Parece que somente os gigantes prosperam nesse mercado, será essa uma verdade?

Nesse artigo eu vou trazer algumas verdades escondidas por trás das promessas de “trabalhe de chinelo e bermuda”, fuja das indústrias tradicionais. São essas e outras promessas que professores costumam fazer em suas aulas de publicidade, mas nunca viveram.

É bem provável que você tenha começado sua caminhada comprando cursos online, depois acreditou que a universidade ia te ajudar a se capacitar para entrar no mercado, enfrentou a mensalidade (ou contou com ajuda do FIES), vislumbrando um investimento na solução perfeita para o futuro, sem se perguntar se é isso mesmo que quer e precisa.

4 anos se passaram e pouca coisa mudou, dá aquele desespero, mas calma você não está sozinho.

Não temos a oportunidade de ouvir a verdade de quem está nesse meio e vive bem disso. A gente acaba sobrevivendo de revender impressos e fazer logos baratinhos. Não usamos 1% de tudo o que aprendemos na faculdade.
Daí aprendemos Corel Draw e Photoshop, aprendemos a fechar arquivos e abusamos dos “lindos” contornos para tornar o texto legível sobre a “bela imagem” que o cliente escolheu para o fundo.

 

Entendendo o problema

O mercado está cheio de empresas agências e profissionais oferecendo as mesmas coisas, a ponto de tornar a demanda baixa, se comparado a quanta mão de obra o mercado tem disponível. A consequência natural é a queda dos preços.

Quantas noites você passou em uma agência, recebendo mal, ficando até mais tarde umas 3x por semana e seguindo em frente com a justificativa de que: “Amo meu trabalho”.

Você pode até amar mesmo, mas isso não justifica odiar a vida que ele te proporciona fora de lá, sem tempo, dinheiro e nem mesmo condições de sair da casa dos pais.

Ficou chateado? Calma, nem tudo é tão ruim assim, afinal, a gente vive dessa parada.

Se você entender a raiz do problema, poderá arrancá-la e tomar outros rumos dentro da publicidade, com menos concorrência, maior lucratividade e principalmente, podendo colocar em prática ações publicitárias de alto e rápido impacto.

Quando você muda o maneira de enxergar sua profissão, muda também sua visão de mercado, sua postura e no fim você entende que o modelo de negócio ideal é atender como uma agência mas sem os custos de infra-estrutura que ela exige.

É nesse modelo de negócio que milhares de profissionais freelancers estão faturando 5 dígitos por mês. Enquanto muitos julgam isso surreal e disputam trabalhos de 100 reais, em muitos casos trabalham de graça, para enriquecer o portfólio. Entenda a direção em que o mercado vai e siga-a.

A grande mídia perdeu espaço e você ganhou

Há 10 anos o mercado publicitário bombava para grandes, médias e pequenas agências. As marcas não tinham muitas opções de alto impacto para investir, a grande mídia era o centro das atenções.

Hoje a internet oferece opções personalizadas com ações simples. Não precisa pagar 250 mil pra produzir um comercial, no youtube o cara pode gravar com o próprio celular e publicar que já terá um resultado bacana.

Não precisa de uma equipe capturando fotos dos móveis das lojas e um cara gritando que hoje vai ser mais barato em até 21x sem juros (Casas Bahia), você pega a foto do móvel, escreve 21x sem juros e anuncia no Facebook, Adwords e pronto.

Conclusão: Muitas agências quebraram porque o seu público não precisa mais do seu serviço. Elas contratam 2 pessoas pra fazer um marketing interno, um pra design, outro para anúncios e mídias, e pronto, substituíram a agência e a televisão.

 

Um mercado novo e lucrativo surgiu

Com o apoio das mídias sociais e sua inteligência para anúncios, novos negócios passaram a ter espaço. Um DJ consegue investir 100 reais em anúncios e alcançar 10 mil noivas (que vão se casar e precisam de um DJ) no Facebook e Instagram, por exemplo.

Foi vislumbrando oportunidades como essa que o marketing evoluiu e se adaptou à internet. Nomeado de Marketing Digital, uma nova onda de negócios começaram a ser criados. Você designer, freela, publicitário, pode e deve atender essa demanda.

Alguns Especialistas surgiram e começaram a vender cursos, usando apenas a internet e sozinhos conseguiram alunos o suficiente para chamar a atenção de muita gente, que enxergou ali uma grande oportunidade de negócio.

O que isso quer dizer? Tem muita gente montando negócios de educação online, que precisam de profissionais como nós, para criar e otimizar todo o seu projeto.

Imagine um negócio onde você vende um produto, que já está pronto, é entregue via e-mail, não precisa de estoque, frete, suporte e o cliente ainda recebe na hora.

É isso que o mercado de educação online está explorando. Nutricionistas que atendiam 1 cliente por vez, estão vendendo treinamentos para para centenas de pessoas de uma vez só.

Percebe o potencial que isso tem? Por ser lucrativo, os clientes tem verba para investir em tudo o que puder trazer crescimento para o seu negócio. É aqui que a sua proposta será o grande diferencial, não o preço

As agências tradicionais ainda não olharam para esse mercado

O Inbound Marketing surgiu para contrariar o modelo tradicional de fazer propaganda, até o nome propaganda passou a soar mau. A era do marketing da interrupção se foi. Aos poucos e bem devagar, as agências estão se adaptando para esse novo modelo de negócio, mas aqui vai uma grande oportunidade: elas estão focadas nas grandes empresas, de modo que nós que trabalhamos sozinhos, não concorremos com quem atende grandes empresas, o público é outro.

Um exemplo:

Eu atendi praticamente sozinho esse mercado de lançamentos entre 2014 e 2016, vendendo criação de marcas, blogs, páginas, funis, ads e tudo aquilo que um negócio digital precisa para vender e conquistar novos clientes.

Eu atendi até o momento em usei o conhecimento que vinha gerando resultados para os meus clientes, pra mim mesmo. Criando e vendendo algo de minha autoria, que não fosse serviço.

Investi tudo o que tinha na criação desse novo projeto, em sociedade com um cliente e deu certo. A partir daí, eu contrato freelas pra me ajudar nas demandas que tenho e apoio o mercado ensinando o que aprendi e aprendo nessa caminhada. Você pode conferir em http://jornadafreelancer.freelacraitivo.com e http://freelacriativo.com

Agora que você já sabe a direção do mercado, vamos falar sobre como você pode começar a surfar essa onda.

 

5 habilidades que você precisa desenvolver como Freelancer

1 – Saiba atender

Publicitários amam reclamar dos clientes, rir de suas sugestões e fazer birra quando não aprovam seu projeto logo de cara. Atendimento é um assunto extenso, mas em resumo, seja paciente, honesto e eduque seus clientes, essa é a melhor maneira de mantê-los com você por muito tempo.

2 – Seja um bom vendedor

Não importa o trabalho que você faça, o objetivo final é sempre a venda. O design, o impresso, o site, o vídeo, tudo é focado no crescimento e ninguém cresce sem vender.

Como vai fazer seu cliente vender sem saber nada sobre vendas? Estudar esse assunto é obrigatório para publicitários, mas as pessoas costumam não te contar pra que você continue comprando cursos técnicos. Afinal, quem sabe vender, trabalha muito e tem pouco tempo.

3 – Mantenha seus custos baixos, mas tenha parceiros para conseguir atender trabalhos maiores

As agências perdem sua lucratividade quando assumem custos altos com aluguel de espaço físico, funcionários, impostos e etc. Então, encontre parceiros bons, de confiança, para delegar demandas conforme elas surgirem. Com o auxílio de ferramentas como o Trello e Slack, você consegue gerenciar bem qualquer projeto, cada um de sua casa.

4 – Aprenda marketing digital, mas não só isso

Adquira uma versão 360º do seu mercado. Seja especialista em algo, mas estude e coloque a mão na massa nos assuntos que o rodeiam. É importante aprender sobre vídeos, copywriting, funis de vendas, conteúdo, artigos de conversão, blogs que vendem, SEO, design, marca, UX, enfim, adquira uma visão generalizada para conseguir delegar campanhas completas.

Faça isso ou fique dependente de um único serviço e perca clientes que pedem aquilo que você não faz, mas poderia delegar.

5 – Aprenda sobre carreira com quem teve uma carreira e não com quem vive de ensiná-la.

Eu tenho uma birra com quem duplica informação. O cara aprendeu na faculdade uma coisa e agora vive de ensinar, mesmo que nunca tenha experimentado colocar aquilo em prática.

Esse é um dos motivos pelo qual ninguém ensina sobre carreira, eles não tiveram uma, não sabem como funciona. Eis o motivo de eu criar o http://freelacriativo.com

Mas é na Jornada Freelancer que eu cubro todos os pontos citados acima. É grátis, para participar é só se inscrever em http://jornadafreelancer.freelacriativo.com

Bora que essa caminhada aí vale a pena 🙂

 

Conclusão

Se você estudou publicidade, estuda ou pretende estudar, saiba que você tem um futuro brilhante pela frente, desde que não se prenda a estudar grandes cases que só podem ser feitos com grandes equipes e não dependa de um bom emprego em uma grande agência para fazer publicidade de verdade.

O publicitário que vende só design, está sentindo a escassez nessa mudança de mercado, o cara que só sabe falar de grids deixa seus clientes confusos, o cara que só filma, só edita, só executa, não vai poder reclamar do salário.

Pra ter uma carreira diferenciada, é preciso expandir seu conhecimento e passar a ter autonomia para planejar e executar muita coisa sozinho.

Quando estiver faturando mais de 5 dígitos mensais e não conseguir mais dar conta da demanda, você deve pensar nos próximos passos. Então decidir se vale a pena virar uma agência física, se tornar sócio de algum cliente e etc.

 

Um Segredo

Eu não sou colunista do Publicitários Criativos, esse é um post publieditorial. Uma mídia alternativa para quem tem negócios online. Isso significa que eu pago para estar aqui, porque acredito que isso trará bons resultados para meu negócio.

Esse post é grande, aprendi com o Frank Kurn que artigos de conversão precisa de muita informação e deve seguir uma estrutura de: Problema > Medo > Solução > Motivação. Aconselho você a aprender mais sobre isso.

E você? concorda com o que foi dito? Fique à vontade para comentar, só não deixe de entrar na Jornada Freelancer 🙂

Confira mais artigos sobre Publieditorial.