Magazine Luiza causa polêmica ao abrir trainee somente para negros

Por Alana Santos

Nos últimos dias a notícia sobre o novo processo de seleção para trainee do Magazine Luiza ganhou grande repercussão na mídia por aceitar apenas negros.

A decisão da empresa dividiu opiniões, enquanto alguns amaram a ideia por acreditarem que isso irá igualar os funcionários, outros acusaram a marca de estar praticando “racismo reverso” com os brancos. A hashtag #MagazineLuizaRacista esteve nos Trends Topics neste final de semana.

Dentre as pessoas que criticaram a decisão temos o vice-líder do governo na Câmara, deputado Carlos Jordy. O deputado afirmou que está entrando com representação no Ministério Público contra a empresa para que seja apurado crime de racismo.

A Magazine Luiza respondeu diretamente ao deputado nas redes sociais afirmando que a empresa estava dentro da legalidade ao abrir o programa. “Inclusive, ações afirmativas e de inclusão no mercado profissional, de pessoas discriminadas há gerações fazem parte de uma nota técnica de 2018 do Ministério Público do Trabalho“, escreveu.

No programa serão aceitos candidatos formados de dezembro de 2017 a dezembro de 2020, em qualquer curso superior. Conhecimento de inglês e experiência profissional anterior não são pré-requisitos para a seleção. O salário é de R$ 6,6 mil, com benefícios e bônus de contratação de um salário.

A empresa se posicionou e informou que continuará com o programa apesar da polêmica causada.