Times europeus possuem o maior número de patrocinadores do mundo

Por Alana Santos

Os times mais famosos do mundo estão na Europa, e naturalmente isso atrai contratos milionários. As equipes ganham bilhões de euros todos os anos e essa receita vem de várias fontes. Mas, principalmente patrocínios com grandes marcas que acabam trazendo benefícios para todos. 

E, para que se tenha ideia dos valores, citemos o exemplo do Barcelona, time da La Liga que está atualmente no topo entre os mais ricos. Segundo a Deloitte Football Money League, que publica o ranking das receitas dos clubes de futebol anualmente, o Barcelona possui uma receita em 2020 de € 840,80 milhões, subindo sua posição com relação a 2019, quando esteve em segundo lugar, atrás do Real Madrid.

Isto significa que, em dois anos consecutivos, times espanhóis se destacam à frente de uma lista que traz equipes da Inglaterra, Alemanha, Portugal e Holanda, o que chama a atenção dos anunciantes numa escala global. 

Patrocínios beneficiam equipes grandes e menores

Os contratos beneficiam equipes grandes e menores. West Ham é patrocinado pela Betway. Imagem: Reprodução

Quando falamos em maior número de patrocinadores do mundo, incluímos nesta lista também os mais caros. Ainda falando no Barcelona, o aumento de 21% em suas receitas nas últimas temporadas é reflexo de sua parceria com a Rakuten, empresa bilionária de tecnologia. O grupo japonês se tornou o patrocinador master do Barça em 2016 quando desbancou a Qtar Airlines e investiu € 55 milhões em um contrato firmado até 2021.

O acordo beneficia ambos os lados, já que o Rakuten buscava tornar seu nome mais conhecido, e nada melhor do que apostar no marketing, já que o Barcelona possui uma das maiores visibilidades do mundo. Por sua vez, o time espanhol buscava uma parceira de nível global, e a Rakuten oferece isso: presente em mais de 29 países, a empresa de e-commerce está presente em mais de 130 setores diferentes.

O peso da camisa, portanto, vale muito na hora de fechar grandes contratos. Além da patrocinadora master, o Barça conta ainda com investimentos da Nike, Qtar Sports Investments e Intel, o que totaliza 81 milhões de dólares por ano.

Mas, por incrível que possa parecer, há valores ainda maiores, e quem possui o contrato mais rentável da história é o Manchester United. O time inglês firmou uma parceria bilionária em 2014 com a Chevrolet. A fabricante de veículos norte-americana paga anualmente 64 milhões de libras por temporada, maior acordo já firmado. 

Porém, a United não vem conseguindo bons resultados nos últimos tempos e isto acabou influenciando negativamente a Chevrolet, que decidiu não renovar o contrato que termina em 2021. Para não sofrer uma grande queda, o time que se encontra na terceira colocação da Premier League e fora da UEFA Champions League vem buscando um novo patrocínio.

Mas não só os times grandes possuem ótimos patrocinadores. O West Ham, que terminou a Premier League em 16º estampa em sua camisa o patrocínio da Betway, uma das principais casas de apostas do mundo, e que também apoia outros times como Alavés, Leganés e Levante. Tal contrato tem sido um dos maiores incentivos para equipe que luta para permanecer na liga.  

Jogadores atraem os holofotes dos contratos milionários

Neymar Jr. Divulgando sua chuteira da Nike. Imagem: Reprodução

Um dos fatores que eleva a posição de um time no ranking de resultados é seu corpo técnico. E os jogadores mais famosos se tornam uma maneira de elevar o status de um time, tornando-se um financiamento com retorno garantido. Eles atraem grandes marcas de materiais esportivos como a Nike e Adidas (as mais famosas) e as empresas que patrocinam as camisas (contratos de uniforme). 

E, sem dúvidas, ter sua marca estampada em uma camisa usada por Lionel Messi, um dos jogadores mais valiosos do mundo, é um outdoor para qualquer empresa. O argentino recebe um salário de € 565 mil semanais, mais um recorde na história do futebol, mas vale cada centavo. 

Tanto que empresas como a Nike e Adidas disputaram contratos exclusivos de chuteiras, tendo a Adidas levado a melhor. Além disso, até o ano passado, Messi chegava aos seus treinos ostentando alguns carros de luxos da Audi, graças a um acordo firmado entre a empresa automobilística alemã e o Barcelona, time que Messi defende.

Outro jogador que se tornou uma grande marca é Kylian Mbappe. Patrocinado pela Nike e Hublot, o ídolo do Paris Saint Germain e campeão do mundo pela França é apontado também como um dos atletas mais carismáticos. Com uma história de vida repleta de lutas, ele virou um exemplo, se destacando dentro e fora dos campos. E foi justamente por causa de seu perfil que ele foi chamado para se tornar embaixador global da Good Goût, empresa voltada para alimentação de bebês e crianças. 

Mbappe joga ao lado de Neymar Jr., jogador que, embora possua um perfil diferente do francês, possui um grande poder de mercado. E sua imagem é tão forte que, mesmo tendo seu nome envolvido em alguns escândalos, terminou 2019 em terceiro lugar no ranking de jogadores mais bem pagos, com rendimentos em torno de  € 91,5 milhões. Esses valores incluem salário e patrocínios. 

Dentre algumas das empresas que pagam pela imagem ou patrocinam o brasileiro mais famoso do futebol estão gigantes como a Qatar Nacional Bank, Nike, Red Bull, McDonald’s, Wish, Handicap Internacional e outras marcas conhecidas como Rico, TCL e Gol, dentre outras. 

Tendência é de contratos cada vez mais milionários

Cristiano Ronaldo possui um contrato vitalício com a Nike. Imagem: Reprodução

Como pudemos perceber, as altas cifras parecem não assustar as grandes empresas, que investem cada vez mais na publicidade. Os acordos e parcerias se tornam cada vez mais milionárias. Tanto, que se tornam mais comuns os contratos vitalícios, como assinado por Cristiano Ronaldo com a Nike. O jogador se tornou um excelente negócio, tanto que hoje vale mais do que quando foi contratado pelo Juventus em 2018. 

E a tendência é que esses valores se tornem ainda maiores, tendo em vista o engajamento que envolve o marketing esportivo e sua forte chegada aos torcedores. Esse grande círculo de negócios mostra que, embora possam passar por algumas dificuldades ao longo de 2020, o círculo que envolve patrocinadores e equipes deve continuar sendo um dos mais rentáveis das próximas décadas.