Juntos Energia e 99 oferecem energia limpa com redução de custos às casas de motoristas parceiros

Por Alana Santos

A empresa mineira Juntos Energia Compartilhada se uniu à 99, empresa de tecnologia voltada à mobilidade urbana e conveniência, para oferecer energia limpa aos motoristas parceiros, que poderão reduzir em até 20% a conta de luz de suas casas.

Disponível a partir de 21 de setembro para os residentes de Minas Gerais, a contratação dos serviços não terá taxa de adesão e não exige a instalação de placas fotovoltaicas.

A Juntos Energia Compartilhada é um marketplace que conecta usinas de energia solar à rede de distribuição de energia e a consumidores finais, resultando em um consumo mais ecológico, que reduz consideravelmente os impactos ambientais. Com poucos cliques, os motoristas poderão fazer a portabilidade de energia limpa de suas residências. Poderão também indicar para a plataforma seus familiares, amigos e conhecidos, aumentando ainda mais seu nível de desconto, que pode atingir o máximo e zerar a conta de energia.

Essa iniciativa faz parte do DriverLAB, área da 99 100% focada nos motoristas parceiros, que busca soluções inovadoras para reduzir seus custos operacionais e ampliar seus ganhos. “Na 99, o cuidado com o motorista parceiro é prioridade. Nesse piloto com a Juntos Energia, estamos buscando um futuro mais sustentável e que ofereça redução de custos no orçamento familiar dos motoristas parceiros.  Além disso, o uso de energia limpa é um compromisso da 99 com o meio ambiente e com a saúde da sociedade brasileira”, diz Thiago Hipólito, Diretor de Inovação da 99 e líder do DriverLAB.

Expansão da energia limpa no Brasil

Um recente levantamento da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica mostra que a geração de energia limpa cresceu 6% no primeiro quadrimestre de 2022, em comparação com o mesmo período em 2021. A energia solar cresceu 100% no período. Ainda de acordo com informações do Ministério de Minas e Energia, as fontes de energia limpa respondem por 83% da produção nacional.

Por conta das resoluções normativas (ANEEL 482/2012 e 687/2015) e a nova lei federal (14300/2022), o mercado de energia criou a oportunidade para que empresas de tecnologia possam conectar micro e mini fazendas solares e eólicas diretamente a residências ou empresas, utilizando a rede de distribuição das concessionárias existentes.

A mudança regulatória cria no Brasil a modalidade de geração remota e abre espaço para a energia compartilhada. “É basicamente o conceito já conhecido da população para serviços oferecidos por fintechs ou operadoras de telefonia. Depois dos carros compartilhados, surgem as leis que irão facilitar a energia compartilhada. E a Juntos quer ser a ‘99 da energia’ no país, com o foco de democratizar o acesso à energia limpa”, ressalta o CMO da Juntos, Cleber Paradela.