Como a falta de transparência quase custou um acordo de US$ 44 bilhões

Por Alana Santos

Você deve ter ouvido nas últimas semanas sobre a grande insatisfação de Elon Musk em relação à exposição dos dados fornecidos pelo Twitter e inclusive ameaçou cancelar o acordo bilionário caso a rede social não fosse mais transparente.

Em uma carta, escrita pelo consultor de fusões e aquisições Mike Ringler, de Skadden, Arps, Slate, Meagher & Flom, disse que Musk solicitou repetidamente informações desde 9 de maio, e a resposta do Twitter de que estava limitando seus esforços para “facilitar o fechamento da transação” não era aceitável e como Musk era um possível proprietário do Twitter, ele tinha direito aos dados solicitados para permitir que se preparasse para a transição dos negócios do Twitter e para facilitar o financiamento da transação. Para fazer as duas coisas, ele deveria ter uma compreensão completa e precisa do núcleo do modelo de negócios do Twitter – sua base de usuários ativos.

Como já dissemos aqui algumas vezes, esse é só mais um exemplo de como a transparência é fundamental no mundo dos negócios, principalmente com os clientes, uma vez que é direito deles ter total conhecimento do andamento e ações tomadas com sua marca.

Cada vez mais vemos o quanto a transparência de dados é primordial para um bom relacionamento com o cliente. Em um exemplo prático Elon Musk demonstrou a frustração da falta de informações e, se isso quase custou um acordo de US$44 bilhões, que dirá um contrato mais simples.

Hoje em dia, principalmente, não existem desculpas para não ser transparente nos negócios. Temos no mercado diversas ferramentas que auxiliam no envio de resultados aos clientes e diversos formatos distintos.

O mais utilizado hoje são os relatórios, que permitem concentrar uma gama gigantesca de informações de maneira simples, objetiva e clara.

É importante destacar que essa não precisa ser uma tarefa maçante e nem se tornar um fardo em sua rotina, como destacamos, hoje existem diversas ferramentas que te auxiliarão nessa tarefa – como o Reportei – que permite gerar relatório em segundos.

O mais importante é entregar a informação ao cliente, inclusive quando as coisas não estiverem indo bem! Somente assim, em conjunto vocês poderão planejar as próximas ações e ver como agir em cada situação.

Como vimos, a tentativa do Twitter de esconder uma “falha” causou mais problemas do que se tivessem de primeira apresentado os dados reais. Com a atitude, o empresário criticou a atuação da empresa com relação a seus pedidos, fazendo com que ele acreditasse que o Twitter estava se recusando de forma transparente a cumprir suas obrigações sob o acordo de fusão, o que causou mais suspeitas de que a empresa está retendo os dados solicitados devido à preocupação com o que a própria análise de Musk desses dados revelaria.

É preciso lembrar que o cliente não é seu inimigo e é esperado que contratempos aconteçam. Somente colocando todas as cartas na mesa, seu cliente, que é a pessoa que mais conhece sobre o nicho de mercado em que atua, poderá junto de você montar um plano de ação para reverter o cenário. E, em caso de resultados positivos, é sempre bom mostrar com orgulho os objetivos alcançados.

Independente da situação, a transparência é a única maneira de construir um relacionamento de confiança no mundo dos negócios.