Dá para substituir software mainstream de design por software de código aberto para Linux?

Por Alana Santos

Meta description: É viável substituir programas e sistemas pagos de edição por versões gratuitas compatíveis com sistemas Linux? Confira aqui, neste artigo.

Trabalhar com design exige ótimas ferramentas e hardware potente. Embora sistemas Linux não sejam exatamente a preferência dos designers, há elementos interessantes do sistema que o tornam uma boa alternativa a sistemas macOS e Windows.

Aqui, vamos analisar alternativas de código aberto gratuitas para sistemas Linux e ver se elas podem ser bons substitutos para versões mainstream pagas – e que podem ser muito versáteis junto com recursos adicionais como um sistema Linux com VPN.

Nem tudo é acessível

After Effects, Cinema 4D, Atom, Photoshop, Illustrator, Premiere Pro e InDesign são algumas das ferramentas consideradas como essenciais para designers profissionais (principalmente aqueles que trabalham com UI/UX).

Mas, apesar de vistas como um “pacote essencial”, elas não são acessíveis para grande parte dos profissionais, especialmente aqueles em início de carreira e que ainda precisam construir um portfólio (e procurar versões pirateadas destes programas não é a melhor das soluções).

Além disto, os próprios sistemas Windows e macOS (necessários para utilizar estas ferramentas) têm seu preço, o que torna estes recursos ainda mais caros.

E aí que entram alternativas – e, apesar de não ser exatamente a escolha número um dos designers, elas podem ser usadas em conjunto com sistemas Linux.

Edição de imagem e áudio

Se você não quer (ou não pode) desembolsar muito em software de edição e criação, há opções gratuitas que podem te servir muito bem. Elas são chamadas de FOOS, Free and Open-Source Software (software gratuito e de código aberto).

Krita, Inkscape e Gimp são três exemplos de software grátis que servem como alternativas ao Adobe Photoshop, por exemplo. LightZone e DarkTable podem ajudar em lugar do Adobe LightRoom.

Já para o Adobe After Effects, Fusion e Natron são boas opções. Kdenlive, OpenShot e DaVinci Resolve são boas escolhas caso você não queira ou não possa adquirir o Adobre Premiere.

Para tratamento de áudio, o Audacity (bastante difundido) e o Ardour são ótimas opções similares ao Adobe Audition. O Brackets e o Aptana Studio também são escolhas que podem substituir o Adobe DreamWeaver.

Software para edição 3D e UI/UX

Se você precisa de software para trabalhar com design 3D, Blender, Sweet Home 3D, LibreCad e FreeCad são programas interessantes e com ferramentas similares às de opções como AutoCad, Sketchup 3D e 3D Studio.

Para desenvolvimento UI/UX, há ótimas opções gratuitas como Wireframe, Balsamiq, QuickMockup e Pencil. Todas elas são compatíveis com sistemas Linux.

Todas estas ferramentas possuem recursos capazes de permitir um nível profissional de edição e há muito material ensinando a usar recursos que permitem uma ótima capacidade criativa para qualquer designer.

As limitações existem

Como nós mencionamos, é totalmente possível substituir os programas mainstream mais caros por ofertas gratuitas. Mas é preciso levar em conta que elas não possuem exatamente os mesmos recursos que as alternativas pagas.

Em geral, os programas FOSS são incompletos, limitados em comparação com as versões mais populares e caras de marcas como a Adobe, por exemplo. Assim, as possibilidades não são as mesmas.

O Gimp, por exemplo, um dos mais populares softwares gratuitos de edição de imagens, não conta com suporte ao CMYK (um esquema para combinação de pigmentos primários para maior variação de cores). As opções de edição de texto também são mais restritas.

Vale a pena usar o Linux para design?

A resposta é que depende dos seus objetivos, necessidades, atividades e motivações. Para realizar trabalhos mais profissionais, não há muito para onde correr e as versões mais convencionais continuam a ser as melhores e mais robustas.

Só que as ferramentas gratuitas que nós listamos aqui são muito úteis para economizar dinheiro, o que permite a capacidade de poupar recursos para investimentos posteriores para aprimorar suas ferramentas de trabalho.

Sistemas Linux são gratuitos e, junto com os softwares que recomendamos, oferecem boa estrutura para que você possa trabalhar como designer. Também são mais seguros, o que melhora a integridade do seu trabalho (com uma VPN para Linux, sua conexão e seus arquivos ficam ainda mais protegidos).

E, apesar das limitações em comparação com as versões pagas, estes programas e sistemas permitem um início de carreira menos pesado financeiramente, além da oportunidade de poder praticar mais, aprender e adquirir experiência para usar outras ferramentas mais comuns no mercado.